Como fazer um sling?

postado em: Carregadores | 2

Vamos falar sobre como fazer um sling ou um wrap, os nossos carros-chefe aqui na Cazulim?

Você já aprendeu sobre os diversos tipos de materiais que podem dar origem a um porta-bebê, as qualidades das fibras de algodão e como isso influencia na qualidade e no preço final. Sabe que existem diferentes fios e que isso interfere na textura, maciez, brilho, durabilidade e fixação da cor. Sabe que o tipo de tear interfere diretamente na padronagem, distribuição das cores e espaço entre os fios. Mas e os próximos passos?

Depois do planejamento

Muitas mãos estão envolvidas no processo de criar um tecido. Elas medem, enrolam, cortam, repassam, emendam muitos e muitos metros de fios que formam o tecido que vai virar carregador. São infinitas variáveis, que abrem inúmeras possibilidades… Os obstáculos impossibilitam algumas opções e geram limitações. Olha só:

– A fibra que você deseja não é acessível, seja pelo custo, logística ou importação.

– O fio macio e brilhante é vendido em pequenas pequenas. Sai mais caro, mas ok.

– Falta justo a cor que você queria, ou quando chega, pequenos detalhes no lote tornam a meada diferente do que você já tem..

– O fio tem boa qualidade e cores bacanas, mas só pode ser comprado em quantidades enormes. É um alto investimento, que vai se pagar sabe-se lá quando. Isso limita as cores que a empresa trabalha (como no nosso caso).

– O fio está ok? Porém as tecelagens disponíveis são poucas, e cobram caro pela alta demanda e baixa disponibilidade.

– O tear quebra.

– O fornecedor que não tem prazo para as entregas.

– O pano apresenta defeitos.

– Os tecelões não aceitam nem ouvir propostas, não trabalham com o tear adequado ou não têm o conhecimento necessário.

É importante conhecer a tecelagem, participar ou ao menos conhecer o processo produtivo. Fazer a “ponte” entre quem fabrica o pano e quem usa. Ao menos para mim, esse é um grande passo para que eu consiga identificar os pontos fracos do tecido e possa “atacar” de forma efetiva.

Ter cuidado para ser original, não exagerar na inspiração para não virar cópia. Ter coerência.

Ufa! Passou por todos esses passos e saiu ileso? Tens nas mãos um pano. E agora eu te pergunto: tendo um bom pano, qualquer um produz um carregador? Sim! Assim como qualquer um pode tocar uma flauta. Todos tocarão bem a flauta? Não. Assim também, mesmo com um bom pano, nem todo mundo fará um bom porta-bebê. Mas ter uma boa flauta já é meio caminho andado para ter um som limpo e melodioso. Depois do tecido pronto, muito trabalho nos espera.

A produção dos carregadores
Rolo de tecido Cazulim preto e branco em trama diamante
Os rolos de tecido saem da tecelagem e passam pelo processo de acabamentos antes de virarem porta-bebês.

Vamos falar da produção do wrap em detalhes, após o tecido estar pronto?

Corte

As pontas do wrap poder ser cortadas retas ou chanfradas (em diagonal). O corte chanfrado possibilita um nó mais harmonioso e com menos volume. Os usuários dos wraps com pontas em diagonal sentem que isso facilita o nó, principalmente quando o tecido tem muito grip (atrito ou aderência). É esse o padrão utilizado pela maioria das marcas internacionais, mas não é um indicativo de qualidade. Essa preferência (ou não) apenas define um gosto pessoal. A Cazulim usa o chanfrado como padrão, mas caso você prefira um wrap com pontas retas, entre em contato com a gente e verifique essa possibilidade! 😉

As pontas do wrap Cazulim
O corte padrão do wrap Cazulim é com as pontas na diagonal.
Tamanho dos Wraps

Apesar de termos como padrão Cazulim os tamanhos base 4, 5 e 6, cortamos a peça no comprimento solicitado, seja ele maior ou menor.

O tamanho base é definido pela amarração cruz envolvente (quando a pessoa faz a amarração e finaliza com um nó nas costas, sem dificuldades e sem sobrar muito pano). O tamanho base varia de acordo com o biotipo da pessoa que carrega, tamanho do bebê e o momento em que se encontram (se a mãe está gravida, por exemplo). Além disso, a gramatura do tecido e a experiência de quem carrega também contam. Se a mãe e o pai carregam no mesmo tecido, o ideal é que o tamanho escolhido atenda ambos.

Cada tamanho possibilita diferentes amarrações. Em muitos vídeos, você encontra como referência “base+2” ou “base-1”. Ao escolher um tamanho menor que o seu base, muitas vezes ele não te dará todas as possibilidade de um tecido mais longo. Apesar disso, cada vez mais tecidos curtos são procurados. São ótimas opções para fazer amarrações rápidas na frente com nó deslizante (ou argolas), ou amarrações costas em que sobre pouco pano. Existem inúmeras possibilidades!

Tabela com referências para tamanhos de wrap
Tabela com referências de tamanhos de wraps, para auxiliar na sua escolha.

 

Como fazer um sling de argolas

Quando o tecido irá se transformar em um sling de argolas, além do corte e bainha há a escolha das argolas. Elas devem ser próprias para carregar bebês, em materiais como alumínio anodizado sem emendas ou nylon injetado. Geralmente as argolas para slings são importadas, mas aqui na Cazulim também mantemos um estoque de argolas nacionais com qualidade equivalente às importadas. Elas são produzidas exclusivamente para este fim, e o fabricante dispõe de laudos técnicos atestando a resistência e sua não-toxidade.

Tecido handwoven sem barra à direita, com barra à esquerda
Na primeira foto, um handwoven sem barra. Na segunda, o mesmo tecido após a barra ser finalizada.
Como fazer um sling de argolas

Quando o tecido irá se transformar em um sling de argolas, além do corte e bainha há a escolha das argolas. Elas devem ser próprias para carregar bebês, em materiais como alumínio anodizado sem emendas ou nylon injetado. Geralmente as argolas para slings são importadas, mas aqui na Cazulim também mantemos um estoque de argolas nacionais com qualidade equivalente às importadas. Elas são produzidas exclusivamente para este fim, e o fabricante dispõe de laudos técnicos atestando a resistência e sua não-toxidade.

Comparativo entre as argolas utilizadas nos slings Cazulim
Os três tipos de argolas utilizadas nos slings Cazulim.

ATENÇÃO! As argolas de acrílico são muito frágeis, e devem ser usadas apenas em carregadores infantis, para carregar bonecos. Argolas de madeira não são recomendadas nem para carregadores de brinquedo, pois além de frágeis elas podem atrair microorganismos. Argolas de ferro, apesar de resistentes, podem ser tóxicas. Faça um teste com um imã, e caso a argola contenha ferro, nós desaconselhamos o uso. Argolas de aço com emendas podem danificar o tecido do sling e causar acidentes, por isso também não são recomendadas. 

Testando o porta-bebê

Pesa, lava, passa e usa. Usa muito. Nenhum pano é lançado sem ser muito utilizado – por mim, por amigas, por colegas de pano, por voluntárias. 🙂 E eu sou beeeemmm chata! Essa primeira coleção, por exemplo, eu passei 6 meses em testes até chegar no resultado lançamos. Ainda não existem normas brasileiras para produção de slings, wraps e outros porta-bebês. A maioria das produtoras, senão quase a totalidade, não faz testes em laboratório – e esse é um caminho que espero mudar no decorrer da história da Cazulim.

Se você recebeu o seu carregador e não ficou satisfeita, ou tem alguma dúvida sobre o material ou acabamento, a melhor forma de resolver é contactar o fabricante. Produtores sérios estão dispostos a te ouvir e te esclarecer.

 

2 Respostas

  1. Achei maravilhoso é muito enriquecedor o texto. Sou fabricante de wrap há menos de 2 anos e por necessidade de conhecimento, fui em busca de um curso de babywearing. Na aula de tecidos fiquei cheia de dúvidas e frustrações, pois quanto mais aprendia e pesquisava, mas me dei conta de que meus produtos não são adequados. Peguei uma revenda, antes ainda de saber sobre isso tudo.
    Não gostaria mais de continuar com meu atual produto, devido a tudo que li a respeito, porém essa se tornou minha profissão após o nascimento da minha filha. E preciso continuar no ramo, porém com produtos realmente ergonômicos. Fico cada dia mais encantada com os panos, mas confesso que meu conhecimento é restrito e não sei nem por onde começar procurar uma indústria que produza o pano para mim. Não tenho ideia de custos tbm.
    Onde pesquiso, encontro informações de que existem empresas especializadas nesse tipo de fabricação, mas não sei onde encontrar essas empresas. A maioria das informações vem de fabricantes de slings e ninguém abre esse tipo de informação.

    Se você tiver disponibilidade de compartilhar o seu conhecimento quanto a como encontrar essas tecelagens ou fabricantes, lhe agradeço imensamente. Do contrário, já agradeço desde já pelo texto enriquecedor.

Deixe uma resposta